Barbosania gracilirostris

O pterossauro Barbosania gracilirostris viveu no Brasil durante o Período Cretáceo, na região Nordeste. Tinha um bico comprido e se alimentava de peixes que abundavam naquela região, além de ter um parentesco muito próximo a outro réptil voador brasileiro, o Brasileodactylus.  

CLASSIFICAÇÃO:

 

FILO: CORDADO

CLASSE: REPTILIA

ORDEM: PTEROSAURIA

SUBORDEM: PTERODACTYLOIDEA

SUPERFAMÍLIA: ORNITHOCHEIROIDEA

FAMÍLIA: ORNITHOCHEIROIDAE

GÊNERO: BARBOSANIA

ESPÉCIE: BARBOSANIA GRACILIROSTRIS

Fig. 1: retirado de http://ecx.images-amazon.com/images/I/315RHwkNOgL._SX300_.jpg (08/07/2015 às 18:00).

DESCOBERTA:

 

  A história da descoberta dos fósseis do Barbosania até ser oficialmente batizado é bem antiga: tudo começou com o português entusiasta em paleontologia, Miguel Barbosa, que ao longo da vida colecionou diferentes fósseis vindos de todas as partes do mundo. Em uma viagem ao Brasil, na década de 70, ele adquiriu uma placa grande que continha um fóssil sem identificação, que permaneceu com ele por mais de 40 anos. Em 2009, um amigo alemão fotografou a placa e enviou as fotos a especialistas do Museu de Karlsruhe, na Alemanha, que logo perceberam que a placa continha fósseis de um animal novo.

  Pediram-na, e a placa foi cedida por Miguel Barbosa aos paleontólogos do museu alemão, que trabalharam por dois anos com o material e concluíram se que tratava de uma nova espécie de pterossauro. Barbosania foi batizado no ano de 2011, pelos paleontólogos alemães Ross Elgin e Eberhard Frey.

 

ETIMOLOGIA:

 

  O nome Barbosania é uma referência a Miguel Barbosa, que possuía a placa com o fóssil do pterossauro, já gracilirostris vem do latim e significa focinho fino, delgado.

O PTEROSSAURO:

 

  Barbosania gracilirostris era um pterossauro pequeno, com cerca de 60 centímetros de comprimento, dos quais 39 centímetros representavam sua cabeça com seu bico longo, e uma altura que na passava de meio metro. Tinha um bico bem fino, uma mandíbula com 20 a 24 dentes longos e finos, que o ajudavam a pegar peixes e outros animais aquáticos, além de ter um rabo curto.

  Como não existe certeza sobre sua origem, análises estratigráficas indicam que este pterossauro veio do Membro Romualdo da Formação Santana, provavelmente do estado do Ceará, nas imediações da Serra da Mãozinha (no artigo científico que descreveu o Barbosania o nome está errado, escrito Sierra de Maõsina). Estima-se que viveu entre o Albiano (113 a 100,5 milhões de anos atrás) e Cenomaniano (100,5 a 93,9 milhões de anos atrás) quando a região tinha um clima tropical e parte do mar avançava para dentro do Brasil.

 Outro ponto interessante é seu parentesco com o Brasileodactylus, sendo sugerido que alguns fósseis fragmentados encontrados e atribuídos a este gênero podem, na realidade, pertencer ao gênero Barbosania.

COLEÇÃO PORTUGUESA:

 

  O português Miguel Barbosa juntamente com sua esposa, Fernanda Barbosa, colecionaram muitos fósseis ao longo da vida e desejavam repassar tais materiais a um Museu. Tendo recusado ofertas de grande valor para vender sua coleção, eles decidiriam doa-la ao Museu de História Natural de Sintra, localizado na cidade de Sintra, próximo a cidade de Lisboa, onde Miguel e sua esposa moram.

  Apesar disto, tanto o fóssil do Barbosania gracilirostrois quanto outros materiais brasileiros foram adquiridos de forma controversa, visto que a comercialização de fósseis é proibida no Brasil desde 1942. Infelizmente, muitos materiais brasileiros do Museu de Sintra foram comprados de traficantes de fósseis, inclusive, para enriquecer a coleção, algo que acaba incentivado negativamente outros museus pelo mundo.

  Atualmente, o único fóssil registrado de Barbosania está guardado no Museu de Sintra, junto com 80 tipos diferentes de peixes fósseis, 25 fósseis de insetos e um fóssil de aranha, todos da coleção de Miguel Barbosa e oriundos de várias partes do mundo.

Barbosania novo.jpg

Fig. 3:  Fósseis do Barbosania (imagem retirada do artigo original) (Elgin; Frey, 2011). 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 

Ross A. Elgin and Eberhard Frey (2011). "A new ornithocheirid, Barbosania gracilirostris gen. et sp. nov. (Pterosauria, Pterodactyloidea) from the Santana Formation (Cretaceous) of NE Brazil". Swiss Journal of Palaeontology 130 (2): 259–275

 

http://mwmservices.net/adps/ADPS_MuseuHistoriaNaturalDeSintra.html

 

http://www.aminhasintra.net/sintraclopedia/miguel-barbosa

 

http://www.ocorreiodalinha.pt/edicoes/2012/CL%20Net.pdf 

 

http://brianandres.myweb.usf.edu/The_Pterosauria/pTwitter/Entries/2014/10/3_4th_INTERNATIONAL_PALAEONTOLOGICAL_CONGRESS_The_history_of_life__A_view_from_the_Southern_Hemisphere_files/Garcia%20et%20al%20(2014).pdf